Quando há algum tipo de ferimento, a presença de tecido morto na pele deixa o local exposto a bactérias, detritos, suor e outros resíduos no local, podendo gerar infecções e doenças.

Em caso de cortes moderados e graves, o corpo tem dificuldades em promover a limpeza do local naturalmente, e por isso há a prática do desbridamento, no qual se retira essa pele morta e os resíduos na região.

No meio cirúrgico, a prática ocorre por meio de instrumentos, permitindo retirar o tecido de uma forma mais rápida e preparando a região da ferida para receber o enxerto. Desse modo, a cicatrização pode ser realizada de uma forma mais acelerada, e o fechamento do corte é realizado com segurança.